NEXT
Ver.6.3
UM MUNDO NINJA AO SEU ALCANCE!
NARUTO EXTINCION // Seja Bem vindo a NEXT!
NOVOS EVENTOS!
Venha Participar Conosco!
ARTISTICO
INVASÃO
MISSÃO
REGRA
EVENTO
NARUTO EXTINCION NEXT 2016
Um fórum criado por fãs para fãs, baseado no anime NARUTO de Masashi Kishimoto. Com um sistema Inovador de RPG, desenvolvido para simplificar o jogo e deixar mais divertido interagir com outros players.
ATUALIZAÇÕES
29.11.2016 - LIBERADO NOVA ESPECIALIZAÇÃO - NINJAS SENSORIAIS E TAMBÉM REGRAS SOBRE GRADUAÇÕES.
29.11.2016 - INICIO DO EVENTO A INVASÃO! MELHOR VISUALIZADO NA SKIN INVASÃO.
AGRADECIMENTOS


Primeiramente à todos os membros, que apoiam o fórum tornando ele uma segunda família. Assim como todos da STAFF, que mesmo com problemas sérios, não deixam o fórum morrer.

 
Closed
New Topic
New Poll

 HSTÓRIA PÓS INVASÃO
Frekkr
 Posted: Sep 7 2016, 04:36 PM
Quote



Group Icon
Posts: 189
| FICHA



QUOTE (Index:)

1 – Anos de Paz // 2 – Admirável novo mundo // 3 - Nova Guerra // 4 – Alianças Forjadas no campo de batalha // 5 – 365 dias depois// 6 - Dias Atuais


[spoiler=1 – Anos de Paz (Desde a Invasão até o fim de Nemuri)]
Konoha sempre reteve o posto de única vila ninja no país do fogo. Tudo isso mudou depois do aparecimento de Nemuri e Sumi. Com a inserção de mais 2 fornecedoras de ninjas e serviços no país, cresceu entre as 3 vilas a rivalidade. Apesar disso, nunca houve entre elas nenhum indício de guerra. Elas pareciam viver em equilíbrio e respeito, tanto quanto fosse possível.
Parte da animosidade entre elas se dava pelo fato de que, poucos meses após a Invasão*, as vilas se estabeleceram no país do fogo, gerando um clima de suspeita e confusão sobre suas reais intenções e no seu real envolvimento com a Invasão. Estariam eles envolvidos de alguma forma? Para piorar, após Konoha conseguir se defender e derrotar seus invasores, a vila teve que lidar com o fato de que, além dos seus ninjas mortos em combate ou desaparecidos, aumentara muito o número de desertores. No surgimento de 2 novas vilas, alguns destes partiram para elas em busca de novos poderes, ou de locais menos visados e mais pacatos para viver. Esses ninjas foram marcados como traidores. Alguns cidadãos de Konoha passaram a odiá-los, enquanto outros entendiam suas dores.
Acumulado ao fato da vila ter tido uma baixa muito grande de ninjas, seja em mortos ou em desertores, a Vila vivia em luto e reconstrução após seu Kage vir a falecer durante a Invasão. Nemuri e Sumi se aproveitam desse tempo para crescer e se fincar no país como Vilas Ninjas reconhecidas.
Alguns meses se passaram após a morte do Kage e Konoha conseguiu recuperar parte do prestígio que tinha dentro do país. Graças a seus habilidosos ninjas, que sobreviveram aos eventos traumáticos da Invasão, conseguiu iniciar um projeto de recaptura de ninjas Procurados (desertores, invasores que escaparam, etc.). Isso fez com que os ninjas de Konoha fossem reconhecidos como mais capazes e eficazes, apesar de também serem mais caros. Isso permitiu que Nemuri e Sumi ganhassem um leque maior de clientes por terem um preço menor. Começou então uma competição (informal) de qualidade de serviço entre as vilas, que gerou um aumento de treinamentos com intenção de conseguir mais contratos de missão, que configurava grande parte da renda da vila.
3 anos após a Invasão, novos conflitos menores foram travados entre ninjas das 3 vilas e Nemuri finalmente cedeu. Em um acordo com a nova Hokage, Nemuri aceitou dividir parte de seus conhecimentos e levar seus cidadãos para viver em Konoha, em troca de perdão dos ninjas que haviam desertado Konoha no passado para viver em Nemuri e da aceitação e respeito dos cidadãos de Nemuri que se tornassem cidadãos de Konoha. Os termos foram aceitos pela Hokage e os conhecimentos e moradores de Nemuri foram transferidos para Konoha.
O terreno onde Nemuri havia se estabelecido, agora vazio, se tornou um campo avançado de treinamento e local de repouso para ninjas de Konoha e países aliados em missões. A estrutura da vila, apesar de pequena, serviu para executar os próximos Chunnin Shiken** a partir do acordo.
Desde o fim da Invasão até a união com Nemuri, Konoha pode desfrutar de alguns anos de paz. Os conflitos com Sumi e a caça aos Procurados geravam lutas pequenas, mas nada que se comparasse ao que foi a Invasão.
* A Invasão: Evento no fórum que resultou a morte e desaparecimento de vários personagens jogadores e NPCs. Além de possuir várias missões que levaram os participantes ao limite de suas capacidades. Os sobreviventes se tornaram de fato mais fortes, mas todos adquiriram cicatrizes, sejam físicas ou mentais (como ver amigos morrendo).
** Chuunin Shiken: Torneio realizado no Anime, Mangá e no Fórum para decidir quais Gennins estão aptos a subirem para o Rank Chuunin.[/spoiler]

[spoiler=2 - Admirável Novo Mundo (Ano 7 Pós invasão)]
A junção Konoha-Nemuri trouxe mais benefícios que poderia ser esperado. Os cidadãos comuns da antiga Nemuri adquiriram uma sensação de segurança pois, desde a Invasão, a segurança de Konoha foi elevada para um nível que beira o impenetrável. Os muros aumentaram e o número de ninjas patrulhando o perímetro também subiram. Nesses anos vivendo em Konoha, ex-Nemurianos puderam perceber como a criminalidade nos arredores de Konoha baixou.
Os ninjas de Nemuri também puderam aproveitar de um amplo espaço para treinar e uma estrutura excelente com diversos Jounnins com sistemas de treinamentos completamente diferentes dos utilizados na vila de Nemuri. Konoha, por sua vez, adquiriu o conhecimento de terras Gaijins*. A troca de informações e conhecimentos parecia ter sido benéfica para ambos os lados, com a Kage de Nemuri agindo como conselheira chefe de Konoha, comandando 6 Jounnins conselheiros, sendo 3 de cada vila, demonstrando real aceitação de Konoha para com os Nemurianos.
Graças aos relatos dos membros do clã Forge, uma família especializada em forjar armas com propriedades especiais, técnicas que aprenderam com descendentes que vieram de terras distantes, muito além do oceano e dos desertos, Konoha ficou ciente de terras completamente inexploradas por seus ninjas antes. Esse conhecimento despertou a atenção da Kage, que se demonstrou interessada em contatar esses povos para formar alianças e evitar possíveis guerras no futuro.
Com a junção das vilas indo bem, com pouquíssimos casos de preconceito ocorrendo, os times de ninjas de Konoha ficaram cada vez mais eficazes fazendo com que os contratos para missões com Sumi se tornassem cada vez mais raros, deixando a vila de Sumi num beco sem saída. Ou a vila se submetia a Konoha, ou seria obrigada a encontrar outro país para botar suas raízes. Com a relação entre Konoha e as demais vilas ninjas de outros países de estreitando, Sumi teria dificuldades de se estabelecer em qualquer país de sua escolha. Tendo isso em mente, o Kage de Sumi, movido por orgulho, decide investir numa terceira e insana opção. Entrar em guerra territorial com Konoha.
Apesar de orgulhoso, o Kage de Sumi não era um completo idiota e sabia que não poderia vencer aquela guerra sozinho. Felizmente ele tinha um plano, guardado desde a época em que teve contato com Nemuri pela primeira vez. Ao perceber que Konoha havia enviado em expedição 5 de seus mais poderosos ninjas, tendo como líder um Forge, para explorar novas regiçoes e tentar estabelecer novas alianças, o Kage de Sumi resolveu colocar seu plano em ação imediatamente.
Enquanto a expedição não retornava, Sumi se fortalecia e graças a seus misteriosos aliados ela possuía um poderoso exército. Por mais impaciente que fosse, o Kage de Sumi possuía um conselho de guerra prudente, que insistia em planejar as melhores estratégias para infiltrar os muros de Konoha. A resposta para isso parecia ter chegado junto de um emissário: Um poderoso maquinário bélico havia chegado em Sumi e, por suas proporções, a promessa de devastar Konoha deixou de ser um sonho, passou a ser uma possibilidade.
*Gaijin: Termo Japonês pejorativo para indicar estrangeiro/ Forasteiro. No anime quase nunca é usado pois a cultura dos países Ninjas é bem similar, bem como eles falam o mesmo idioma. O termo se aplica bem aos países de estilo Medieval que apareceram em um dos filmes de Naruto.[/spoiler]

[spoiler=3–Nova Guerra(8 anos e 9 meses pós Invasão)]
O regente de Sumi, por decreto, havia adquirido poderosas armas. Sua confiança estava no auge. Fazendo quase 2 anos que 5 dos ninjas mais poderosos de Konoha haviam saído e, com o resto da frota daquelas máquinas de guerra finalmente chegando, era hora de ser preparar para o ataque final.
Graças a habilidade e engenhosidade de seus novos aliados, o primeiro ataque de Sumi tinha tudo para garantir uma vitória fácil. Esperando o momento oportuno, os Ninjas de Sumi e seus aliados treinaram por 1 mês para que o ataque fosse perfeito e as condições ideias fossem atingidas. O ataque seria realizado numa noite de lua nova.
Deslizando silenciosamente pelo ceu noturno, camuflado pela escuridão e pelas nuvens, os ninjas de Sumi e seus aliados avançavam rumo a Konoha. O maquinário voador, negro como a noite, se aproximava sem chamar a atenção de ninguém. Os aliados de Sumi chamaram aquela máquina de Zeppelin e, como prometido, eles conseguiram avançar em grande altitude sem serem detectados. Estavam tão altos nenhum projétil atirado do chão seria capaz de atingi-los. Chegara a hora de começar o ataque.
A noite silenciosa de Konoha só era quebrada por alguns passos dos ninjas e ANBUs que faziam a ronda noturna. Era 2 da manhã de uma quarta-feira quando o massacre começou.
Era difícil ver o que estava acontecendo, era possível ouvir somente um humilde silvo na noite tranquila. Os ninjas que faziam a ronda, e tiveram a sorte de perceber o barulho, tiveram tempo somente de se esquivar e se afastar. A sorte durou pouco, porém. O silvo foi logo substituído pelo forte assobio do vento e, de novo, por uma terrível explosão. Barris, negros como a noite, caiam dos céus e explodiam ao colidirem com a primeira coisa que encontrassem. O primeiro bombardeio durou pouco mais de dois minutos e o alarme da vila era tocado em volume máximo. Todos os ninjas pulavam de suas camas enquanto a Kage ordenava que os cidadãos comuns fossem protegidos.
Durante o primeiro bombardeio, um Hyuuga que fora arremessado por uma explosão conseguiu ver, ainda que muito ferido, uma concentração enorme de chakra no céu. Essa informação foi extremamente importante quando a vila começou a contra-atacar como podia. Apesar de tentar de todas as formas possíveis, a maioria dos ataques não obteve nenhum sucesso devido a extrema altura, e camuflagem, do seu alvo. Jutsus e flechas eram lançados ao alto a todo momento, sem nenhum sucesso.
Foi então quando um ninja teve a ideia de se aproveitar de sua habilidade de voo para se aproximar da ameaça e ver o que estava acontecendo de perto. Com isso, vários ninjas que possuíam formas de alcançar os céus (Leques + Fuutons, Voo, Jutsus capazes de criar colunas que possibilitassem a subida de pessoas, e invocadores de Kuchiyose voadores) tentaram de todas as maneiras segui-lo atrás do alvo ainda desconhecido, ainda oculto em meio às nuvens do céu negro e da Lua Nova.
Como nem todos podiam ajudar no ataque à essa ameaça, os ninjas que não tinham outra escolha corriam para ajudar cidadãos e feridos a evacuar a vila. O Kage de Sumi já se sentia vencedor, extasiado ao ver os habitantes de Konoha correndo por abrigo, mas nada se comparou à extrema felicidade que sentiu ao ver que seu plano seguia conforme planejado. Ao observar a aproximação da revoada alada de Konoha seu rosto se encheu com um sorriso largo, cheio de dentes. Poderia então aproveitar a segunda arma adquirida de seus ‘benfeitores’.
Os ninjas de Konoha avançavam contra aquela besta enorme de metal quando maquinários de metal com 4 cilindros, ligados por uma roda, com dois homens mexendo suas manivelas a grande velocidade (uma metralhadora giradora de aviões), começaram a disparar pequenos projéteis que, aos poucos, abatiam a revoada de Konoha. Um cheio singular de pólvora encheu o ar e envolvia as vítimas que aos poucos caiam pelo céu.
Observar as criaturas aladas invocadas caindo e desaparecendo com os tiros fez com que os ninjas de Sumi se tornassem cada vez mais confiantes. Enquanto alguns ninjas de Konoha caiam para a morte, ou se preparavam para aterrissar da maneira que conseguiam para sobreviver a longa queda, vários ninjas da ANBU que estavam em terra começaram a se juntar para criar uma grande camada de água com Suitons para salvar aqueles incapazes de se salvar.
Poucos ninjas conseguiram abordar o maquinário alado. Apenas 3 equipes, de 2 equipes cada, puderam perceber que este maquinário produzia fumaça similar às nuvens do céu. Após uma rápida discussão sobre como iriam agir, os 6 ninjas puderam perceber que a alguma distância no céu se aproximavam mais 4 maquinários similares a este, provavelmente com mais explosivos como os que abriram o ataque. Não havia tempo para hesitação, eles teriam que parar aqueles maquinários antes que eles chegassem à vila e dar um jeito de derrubá-los antes que se aproximassem de Konoha ou dos vilarejos situados ao redor.
Os 6 Chunnins, sabendo que esta era uma missão suicida, decidiram se dividir. Os 3 sem método de voo iriam descer para assumir o controle do maquinário que eles conseguiram desarmar, enquanto os 3 capazes de voar deveriam derrubar os outros 4 de algum jeito. O tempo urgia e não tinha como esperar por reforços. O som ensurdecedor e o cheiro inconfundível de pólvora denunciavam que os tripulantes daquela máquina estavam novamente disparando contra Konoha e era só uma questão de tempo para que o próximo bombardeio viesse.
Ao descerem para a parte tripulável da Máquina os 3 ninjas conseguiram invadi-la e já se viam com problemas. Dentro dela tinha um total de 30 ninjas de Sumi, mais 20 Gaijins portando aparatos de metal que o Inuzuka/Yamashita/Forge da equipe declarou ter o cheiro de pólvora similar ao que abateu vários ninjas de Kuchiyoses. A movimentação era intensa, era questão de tempo para que fossem descobertos e, como desgraça pouca é bobagem, uma voz se fez ouvir.
“Povo de Konoha, vocês não podem superar o poder da tecnologia! Rendam-se agora e pouparemos os sobreviventes. Continuem a lutar e iremos começar outro bombardeio imediatamente! Vocês têm 1 minuto para mandar a Hokage e a Sumikage ao topo do Monte Kage, onde iremos discutir sua rendição. Caso ambas não estejam lá em 1 minuto, começaremos o segundo bombardeio”
Um minuto, nada mais, nada menos. 60 segundos para os 3 Chunnins ‘alados’ derrubar 4 Zeppelins e neutralizar este em que os 3 Chunnins estavam. Konoha certamente passou por muitas crises, mas essa com certeza era a pior.[/spoiler]

[spoiler=4 – Alianças Forjadas no campo de batalha (8 anos e 9 meses após a invasão)]
O relógio começara a correr, os 3 ninjas não tinham tempo de combinar mais nada. Trocaram breves sinais com as mãos para ter certeza de que todos estavam de acordo e, confiante no treinamento que tiveram, se separaram para atacar.
O Forge/Yamashita/Inuzuka dará um jeito de neutralizar as seguintes explosões e achar um jeito de inutilizar a pólvora, impedindo a máquina giratória de disparar contra os ninjas de Konoha. O segundo ninja foi incubido de localizar e desativar o que qeur que fosse que estivesse gerando a fumaça responsável pela camuflagem dos Zeppelins, e enquanto isso o terceiro ninja ficou encarregado de neutralizar, de forma furtiva, o maior número de ninjas e gaijins para que o embate final contra quem estivesse controlando aquela monstruosidade voadora tivesse a menor quantidade possível de reforços.
Enquanto isso, na outra frente de combate, os ninjas alados voavam acima das nuvens para evitar de serem notados pelos outros Zeppelins. Voando nessa altitude, puderam visualizar a situação atual da vila: o que antes era uma pacata vila residencial, hoje era um mar de chamas.
Não bastasse a preocupação com Konoha, o anuncio vindo do primeiro Zeppelin fez com que o foco deles estivesse completamente centrado na missão; os 3 dispararam a toda velocidade já carregando seus jutsus mais poderosos na direção dos Zeppelins prontos para um verdadeiro ataque Kamikaze. Para eles, já era mais importante a segurança e felicidade de toda a vila do que a propria vida.
45 segundos se passaram do anúncio e a Nemukage e a Hokage já se encontravam no topo do Monte Hokage, como instruido. O primeiro dirigível deslizava em direção ao monte e restava apenas 15 segundos para o fim do prazo. Um ninja saltou do Zeppelin, caindo em grande velocidade próximo às Kages. Entregou a elas dois papéis, com os termos de suas rendição. A apreensão e ansia de salvar seus habitantes falava mais alto nesse momento.
60 segundos. As Kages liam os temos de rendição enquanto os ANBUs evacuavam a cidade. O grande Zeppelin pairava sobre a vila, completamente a vista agora. Sua localização não era mais segredo. Mais 15 segundos se passaram e, ao tentar pegar a caneta e assinar o termo, a Nemukage é interrompida pela Hokage, que pega para si o fardo de resolver a situação, visando poupar os Nemurianos disso. Lágrimas correm do rosto da kage de Nemuri.
80 segundos. O Sumikage ria estéricamente da segurança de seu Zeppelin. Mal podia perceber que seu contingente estava sendo reduzido. Nesse momento o trio de Chunnins, visivelmente feridos, adentram a sala se preparando para a última luta de suas vidas: contra o Sumikage. Este, ao perceber o que estava acontecendo, fica irado e parte para cima dos Chunnins com uma Katana e uma arma gaijin gritando: “MEUS SONHOS! Vocês não vão impedi-los!” Um grito que retumbou no megafone segundos depois, junto com as vozes dos Chunnins, gritando e atacando. A luta podia ser ouvida da vila.
85 segundos. 3 grandes e estrondosas explosões puderam ser ouvidas no céu noturno, iluminado por instantes. 3 dos 4 Zeppelins restantes explodiram e destroços caiam nos arredores de Konoha como se fogo chuvesse do céu
87 segundos. Tendo uma visão perfeita da aparelhagem acima de Konoha, a Hokage vira a sua conselheira e, se desculpando, parte para a batalha: “Desculpe. Proteja minhas crianças!” Nesse momento, com um subito movimento, ela arremessa a Nemukage e sua Katana em direção ao objeto alado. Os gritos dos Chunnins de Konoha e Nemuri ainda podiam ser ouvidos pelo megafone do Zeppelin. A luta era intensa.
90 segundos. De olhos fechados a Nemukage se concentrava em identificar o chakra de todos os tripulantes da aeronave. Apenas 4 se mantinham intensos. Concentrando uma grande quantidade de seu chakra na espada, ela se preparava para um ataque de Iajutsu*.
93 segundos. Desferindo um impressionante Battoujutsu** a Nemukage passou ao lado do Zeppelin e continuou subindo mais alguns metros. Foi suficiente para ver o outro Zeppelin se aproximando. Enquanto subia, pode ver o Sumikage massacrando os Chunnins, nada podia ser feito além de se desculpar silenciosamente.
95 segundos. Dois segundos após o golpe da Nemukage, o Zeppelin se partiu em dois, o que provocou uma grande explosão e a arremessou mais alto e dispersou os seus tripulantes, fazendo uma verdadeira chuva de ninjas e gaijins cair sobre Konoha, muitos em chamas.
100 segundos. O quinto Zeppelin chega de forma ameaçadora sobre Konoha, já começando a despejar barris explosivos. A oportunidade de resolver diplomaticamente já havia se passado. Não havia resposta além da guerra. Mais 1 segundo se passou e velozes traços coloridos cruzaram os céus interceptando os barris explosivos. Com movimentos erráticos e velozes faziam com que eles caissem sobre o próprio Zeppelin.
105 segundos. O Zeppelin final começou a perder altitude. Felizmente, por não estar tão alto, sua trajetória de colisão seria fora das redondezas de Konoha.
A Hokage olhava boquiaberta tudo aquilo. Ao seu lado se encontrava um dos 5 ninjas que ela havia mandado 2 anos atrás em expedições em busca de novos aliados. Com um sorriso, ela sabia que ele havia conseguido, eram os traços coloridos que cruzaram os céus há instantes atrás, derrubando o último Zeppelin. Quando questionado pela Hokage, o ninja explica que conseguira firmar a aliança e trazer 10 aliados para ajudar. Explicou tambem que era assim que aquela máquina era conhecida em terras além mar, Zeppelin
Graças a intervenção dos guerreiros de El-Rashid, país com forte semelhança à cultura arábica, bem como as atitudes bravas de vários Chunnins, Konoha havia sobrevivido, mais uma vez, a uma situação impossível.
Pouco depois de abaterem o último Zeppelin, os 10 guerreiros de El-Rashid se apresentam ao lado da Hokage, trazendo os 6 Chunnins gravemente feridos e a Nemukage. Enquanto isso, uma equipe de 5 ninjas bombeiros, mias 2 ANBUs já partiam rumo ao possível local de queda dos Zeppelins para controlar o incêndio. Outras equipes lidavam com o fogo da cidade
Um dos guerreiros de El-Rashid diz que viu um homem velho escapando da explosão com a ajuda de um pequeno objeto voador, similar a um pássaro, após a explosão do Zeppelin, e a Hokage, com pesar, reconheceu pela descrição dada que se tratava do Sumikage. Apesar disso, não tinham tempo de lidar com ele agora, o ataque deixou muitos feridos e a vila foi fortemente destruida, toda atenção possível precisava ser destinada a sanar esses problemas
*Iajutsu: Técnica de sacar a espada velozmente e golpear o oponente com o mesmo movimento. Mestres em Iajutsu são capazes de vencer lutas apenas no momento de desembainhar a espada.
**Battoujutsu: Técnica de matar ao sacar. Basicamente a mesma coisa que o Iajutsu, mas focado em matar o oponente com um único golpe. Nesse caso, a Nemukage concentrou TODO seu chakra para realizar um battoujutsu devastador contra um Zeppelin.[/spoiler]

[spoiler=5 – 365 dias depois.(9 Anos e 9 meses após a Invasão - 1 ano após o bombardeio)]
Um ano se passou, e nenhum sinal do Sumikage. Muitos ninjas morreram no ataque de Zeppelins. Apesar da tragédia, Konoha se ergueu mais uma vez e hoje respira aliviada. Com o desaparecimento do Sumikage e da maioria dos ninjas, Sumi elegeu um prefeito e deixou de vez de ser uma vila ninja. Mesmo assim, temendo mais represálias de Konoha, o prefeito, junto aos habitantes de Sumi decidiram se mudar para outro país. Sem ter o direito, mas temendo pela segurança de seu povo, o prefeito pediu uma audiência com a Hokage para pedir auxílio em sua mudança. A Hokage aceitou de bom grado para a surpresa do prefeito.
Por mais que a Hokage e a Nemukage pudessem entender que os acontecimentos do último ano foram executados por ordens do Sumikage, elas sabiam que aqueles que foram feridos ou perderam entes queridos durante o ataque não iriam simplesmente perdoar os habitantes de Sumi. De fato, nesse último ano, houveram alguns casos de assassinato dentro dos muros de Sumi; a maioria contra ninjas e seus entes queridos. A Hokage e a Nemukage não queriam acreditar, mas ambas tinham quase certeza de que esses assassinatos foram realizados pelos parentes e amigos de cidadãos mortos em Konoha.
Apesar dos cidadãos não terem culpa, ou mesmo não poderem impedir o ataque do Zeppelin, teriam sido complacentes em não enviar algum tipo de mensagem para avisar sobre o ataque. Para a maioria dos revoltados, isso os dava parte da culpa nos bombardeios ocorridos em Konoha. As Kages tinham ciencia disso, mas não podiam simplesmente deixá-los ali para morrer.
Do outro lado da situação, um grupo pequeno de ninjas de Konoha, escolhidos a dedo pela própria Hokage, foram ordenados a ajudar os cidadãos de Sumi a se renderem. Junto aos ninjas restantes de Sumi e alguns guerreiros de El-Rashid, eles se organizaram para levar os cidadãos de Sumi em segurança até as fronteiras do país do fogo, onde eles poderiam viver em relativa paz. Uma vez que o clima de ódio gerado por Konoha estava no seu ápice, seria impossível evitar mais mortes em Sumi.
Com a finalização da identificação dos corpos, graças a ajuda de alguns ninjas sobreviventes de Sumi e do próprio prefeito, ficou evidente que não apenas o Sumikage sobreviveu, mas também outros ninjas de Sumi e alguns Gaijins. Estes foram prontamente colocados no quadro de procurados de Konoha; Muitos gennins, chunnins e até alguns ANBUs disputavam permissões para a caçada dessas pessoas, todos, obviamente, movidos pela sede de vingança.
Nesse ano que se passou, os 6 Chunnins foram promovidos a Jounnins devido a sua coragem e bravura em situação de risco. Quando estavam recuperados houve uma grande cerimonia de reconhecimento para eles. Os 3 responsaveis pelas explosoes dos Zeppelins ficaram com grande parte do corpo queimado e estavam com algumas queimaduras expostas, mas nada que um Henge não pudesse disfarçar. Após a entrega dos coletes e dos pergaminhos, a Hokage fez um anuncio, condecorando os 10 guerreiros de El-Rashid (6 homens e 4 mulheres) e anunciando que, a partir daquele ano, Konoha iria estreitar mais as relações, permitindo que alguns jovens de El-Rashid estudassem junto aos ninjas para que eles pudessem aprender nossa forma de lutar, da mesma maneira que alguns Jounnins e Gennins seriam enviados para El-Rashid para aprender costumes e ténicas deles (intercâmbio). O anuncio foi recebido com surpresa para muitos, já que Konoha estava cercada de desconfiança desde o fim da primeira invasão.
A fusão com Nemuri também trouxe grande desconfiança, mas a prova de fogo que foram impostos com o ataque de Sumi fortaleceu essa uniao.. Agora, pouquíssimas pessoas ainda guardavam rancor ou desconfiança contra os Nemurianos. A maioria sentia gratidão. A chegada dos guerreiros de El-Rashid foi incrivelmente conveniente, isso fez brotar uma desconfiança que não existia. Apesar de nada ter acontecido nesse ano que se passou, o anuncio da Hokage despertou uma dúvida e desconfiança que há muito tempo estava adormecida.
Konoha estava, em sua maioria, aceitando a ideia de Gaijins convivendo ali; porém, ensiná-los técnicas ninjas parecia ser dar um passo maior do que as pernas. Alguns dos guerreiros de El-Rashid, ao perceberem os burburinhos da platéia, tentou falar com a Kage perguntando se era uma boa ideia, a qual ela respondeu em alto e bom som ao microfone: “Meus queridos filhos, sei que é difícil para vocês abraçarem essa ideia, mas com os acontecimentos recentes de ataques contra Konoha nós precisamos nos adaptar ao futuro. Esse futuro consiste em Konoha estreitar relações com outros países e, para isso, devemos ajudar uns aos outros. Se nós tivessemos tomado essa atitude anos atrás, provavelmente teríamos sido capazes de combater aqueles Zeppelins de maneira mais eficaz e sem tantas perdas. Nossos amigos de El-Rashid puderam nos salvar graças ao conhecimento deles de como aquele maquinário funconava, bem como o auxilio de seus tapetes voadores. Conhecimento é poder e, tanto nós quanto eles, precisamos aprender sobre outros países. O primeiro passo é sempre o mais dificil, em qualquer mudança, mas precisamos dar eles juntos! Por favor.”
Ao ouvir a suplica da Hokage, muitos começaram a aplaudir e alguns, poucos, continuaram desconfiando dos reais interesses de El-Rashid. Nenhuma ação foi tomada naquele momento.[/spoiler]

[spoiler=6 - Dias atuais (19 anos após a Invasão - 11 anos após o bombardeio)]
10 anos se passaram desde a declaração de troca de conhecimentos e pessoas entre Konoha e El-Rashid. A aparência exótica dos 10 diplomatas guerreiros, como alguns se referiam aos guerreiros de El-Rashid, lhes garantiu vários pretendentes dentro de Konoha e ocasionou em alguns casamentos, fazendo com que estes diplomatas fixassem residencia na vila de Konoha.
Com o passar dos anos, novos países foram descobertos, novas alianças firmadas e um sistema de Correio inter-continental foi estabelecido. Outras vilas ninjas seguiram o exemplo de Konoha e expandiram suas influencias para fora de seus países. O que antes o rei do país do fogo viu como uma possível rebelião, ou ameaça, com o tempo se mostrou um negócio lucrativo para o país. Não apenas Konoha, mas a maioria das vilas vieram a se tornar pontos turísticos.
Os negócios iam bem; os cidadãos faturavam com mais pessoas vindo visitar Konoha. Apesar disso, no fundo de seus corações, os ninjas ainda tinham demonios que lhes atormentavam. Até agora ninguém havia conseguido encontrar, muito menos prender, o Sumikage.
O clima de desconfiança baixou, as pessoas que desconfiavam dos diplomatas se calaram, mantendo sua desconfiança para si e para os poucos que compartilhavam dela. Desconfiados contra os Nemurianos? Ainda existiam, mas em menor número e menos visíveis.
Hoje Konoha vive em paz, mas conspirações internas ainda existem. Se elas vão explodir em tragédia ou simplesmente morrer pela falta de pessoas dispostas a correr riscos, inclusive com as próprias vidas, não se sabe. O que se sabe é que, do último ano para cá, os pedidos de missões tem aumentado. Missões para rastrear ninjas fugitivos se tornavam cada vez mais comuns. Konoha está em paz, mas o mundo parecia nunca estar.
O antigo território de Sumi virou uma espécie de “Sítio Arqueológico” onde os Forges e outros ninjas de Konoha buscavam tecnologia de Sumi. Graças a algumas descobertas, Konoha foi capaz de recriar a famigerada Danger Room* em seu território e começou a construção no finado território de Nemuri. Esse tipo de aparato tecnologico serviria muito bem para as primeiras etapas dos próximos Chunnin Shiken.
Assim começa a nova história. Gennins estrangeiros (Gaijin) e filhos dos imigrantes de El-Rashid (Descendentes) se formavam na academia de Konoha, um leve clima de conspiração deslizava por baixo dos panos e Konoha sobrevivia mais um ataque insano. Um período de paz muito merecido pairava sobre a vila.

*Danger Room: Area de treinamento controlada por computadores, para criar ilusões ultra realistas. Quanto maior o nível de Genjutsu empregado pelo Ninja que controla o computador, mais realista e perigosa se torna a ilusão, permitindo que Ninjas treinem no limite de suas capacidades ainda com um pouco de segurança.[/spoiler]

--------------------
user posted image
PMEmail
^
0 User(s) are reading this topic (0 Guests and 0 Anonymous Users)
0 Members:

Topic Options
Closed
New Topic
New Poll


 


 


PARCEIROS

Seja um Parceiro Você Também!



Simples e Fácil!